quinta-feira, 5 de setembro de 2013

HIDE AND SEEK






"Às vezes é preciso dormir, dormir muito.
 Não pra fugir, mas pra descansar a alma dos sentimentos.
 Quem nasceu com a sensibilidade exacerbada
 sabe quão difícil é engolir a vida.
Porque tudo, 
 absolutamente tudo
devora a gente.
 Inteira."
(Marla de Queiroz)
 


Não sei como dimensionar uma dor,
Talvez leve algumas vidas para conseguir isso,
Marcada por ter travado alguns embates,
E porque acredito que há coisas
Que não são mesmo para se entender,
É sano sentir a alma por debaixo dos corpos,
Ainda mais quando somos invadidos
Pela confusão, pelo saber, prazer,insigne,você.
Muitas vezes vejo o que não quero,
Sem poder mudar...
Me canso de ondas rebatendo nos meus pés,
Elas apenas se diluem partilhando silêncios...
Cruzamo-nos onde?
Em que camada da minha pele você se encontra?
Porque não te escuto mais?
Estou te perdendo?
Onde estão as linhas paralelas da nossa retina?
Não consigo estabilizar uma memória latente de você
Para quem conjugar os verbos
 que transpassam os meus sonhos?
Minha experiência adivinha o mundo lá fora,
Mas não posso querer o todo sempre
Por vezes parece que soltar a mão é mais fácil,
Inevitável...mas somos páreos,
Passageiros nos sonhos daqueles que passaram,
Eternos pelo que por agora já não somos,
Seria injusto falar em promessas, caminhos e destino,
Mas a menina continua caminhando,
Porque sempre me vejo em você...
A distância me consome...
E falta-me a certeza para deixar-te voar longe.
Talvez porque anjos não existam...



Na têmpora Rolando :
Chromatics- Running up that hill
AQUI








 


Nenhum comentário: