domingo, 5 de setembro de 2010

NOCIVA.


Sou Vertical

"Mas não que não quisesse ser horizontal.
Não sou árvore com minha raiz no solo
Sugando minerais e amor materno
Para a cada março refulgir em folha,
Nem sou a beleza de um canteiro
Colhendo meu quinhão de Ohs e me exibindo em cor,
Desconhecendo que me despetalo em breve.
Comparados a mim, uma árvore é imortal
E um pendão nada alto, embora mais assombroso,
O que eu quero é a longevidade de uma e a audácia do outro.
À luz infinitesimal das estrelas,
Flores e árvores trescalam seus frios perfumes.
Eu me movo entre elas, mas nenhuma me nota.
Chego a pensar que pareço o mais perfeitamente
Com elas quando estou dormindo —



Os pensamentos esmaecem..."

Sylvia Plath (1932 -1963)


Na têmpora rolando : ANGEL -
Jack Johnson clipe
AQUI

6 comentários:

Leo disse...

Sabia que Plath ao lado de Lispector, é minha autora preferida. gosto do modo arrebatador com que ela escreve, é seco e visceral.

Beijos querida, tava com saudades!!

Barbara disse...

É certo isso de quando os pensamentos esmaecem - sim.
Bons sonos e, é claro, estrelas.

A.S. disse...

Ale Danyluk,

A longevidade e a audácia serão a verdadeira chave da felicidade?
Longevidade no tempo?
Audácia no amor?

A verdadeira essência da vida está na eterna dúvida das respostas!

BjO´ss
AL

artebaiao disse...

Bonito, ... muito bonito!

O Profeta disse...

Sonhei
Com mares, com uma longa travessia
Desfraldei uma vela alva
Naveguei na chegada, na partida morria

Sonhei que era um cavaleiro andante
Por dias de inquietante perdura
Avistei um vagabundo num espelho de água
Era a minha alma talhada em pedra fria e dura


Doce beijo

Maldito disse...

Caraca! Acho que nao estava preparado para ler algo assim agora!