domingo, 16 de agosto de 2009

EXPERIMENTANDO COERCITIVAMENTE




Não existem mais palavras...

Por mais que eu busque,

Nada é tão certo,

Vejo as cores mais nubladas,

Sinto o céu mais pesado,

Minha vida em câmera lenta,

A ausência me persegue,

A presença me corrói...

Tudo tão embaraçado,

Minhas vontades se tornam nulas,

Os objetivos sem sentido,

Meus passos tem direção ambígua,

Minha imperfeição me convenceu...

Todo o aprendizado se perdeu,

Sobram apenas corpos...

Mas não quero mais nenhum deles,

Se fecho os olhos me perco,

Sonho maldito e desejado...

Visão turva conturbada...

Armadilhas do coração...

Dogmas dessa vida.

História irreal e presente.

Hoje pensei em morrer.

Pensei também em não te dizer.

Sem influências nem carências...

Sei que faço quase tudo errado.

Sentimentos controversos...

Só Mais um dia. ( e noite)

Amanhã vou sobreviver.

Será epilogo ou prólogo ?

Veremos...


Beijoooooo

Ale




"As únicas respostas interessantes

são aquelas que destroem as perguntas. "

(Susan Sontag)









Nenhum comentário: