terça-feira, 1 de junho de 2010

PURO PLÁGIO - É VOCÊ QUANDO EU OLHO NO ESPELHO...




A que há de vir

Aquela que dormirá comigo todas as luas
É a desejada de minha alma.
Ela me dará o amor do seu coração
E me dará o amor da sua carne.
Ela abandonará pai, mãe, filho, esposo
E virá a mim com os peitos
e virá a mim com os lábios
Ela é a querida da minha alma
Que me fará longos carinhos nos olhos
Que me beijará longos beijos nos ouvidos
Que rirá no meu pranto
e rirá no meu riso.
Ela só verá minhas alegrias
 e minhas tristezas
Temerá minha cólera e
 se aninhará no meu sossego
Ela abandonará filho e esposo
Abandonará o mundo e o prazer do mundo
Abandonará Deus e a Igreja de Deus
E virá a mim me olhando de olhos claros
Se oferecendo à minha posse
Rasgando o véu da nudez sem falso pudor
Cheia de uma pureza luminosa.
Ela é a amada sempre nova do meu coração
Ela ficará me olhando calada
Que ela só crerá em mim
Far-me-á a razão suprema das coisas.
Ela é a amada da minha alma triste
É a que dará o peito casto
Onde os meus lábios pousados
viverão a vida do seu coração
Ela é a minha poesia e a minha mocidade
É a mulher que se guardou
 para o amado de sua alma
Que ela sentia vir porque
ia ser dela e ela dele.
Ela é o amor vivendo de si mesmo.
É a que dormirá comigo todas as luas
E a quem eu protegerei
 contra os males do mundo.
Ela é a anunciada da minha poesia
Que eu sinto vindo a mim
com os lábios e com os peitos
E que será minha, só minha,
como a força é do forte
 e a poesia é do poeta.





Rio de Janeiro, 1933
Vinicius de Moraes

Na têmpora rolando
Sometimes You Can't Make it On Your Own - U2
clipe AQUI

3 comentários:

Valter Montani disse...

Alê,

Muito bom te visitar e ler os poemas que compartilha conosco. Vinicius é tudo de bom e mais alguma coisa. bjs e boa tarde/noite com muita poesia.

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Ale,
"As dores de Vínicius
Seus amores, seus vícios"

Fã de quem é fã do Poetinha,
Pedro Ramúcio.

san disse...

Fiquei de cara. Ultra rad.
O danadinho do Vini sabia ser pimenta no olho de muitos.

Beijo, Ale Thurman